O que significa o espinho na carne de Paulo?

476

Antes de darmos algumas suposições sobre o que pode significar o Espinho na Carne de Paulo, vamos considerar que Paulo estava relatando uma experiência celestial que lhe foi concedida por Deus. Ele a descreve da seguinte forma: “Conheço um homem em Cristo que há quatorze anos foi arrebatado ao terceiro céu…”.  O apóstolo demonstrou a Igreja que não se gloriava por ter tido essa tão grande revelação, mas gloriava-se por ser “Um homem em Cristo” e por ter o privilégio de ser um Cristão. Paulo deixou claro que não havia motivos para se gloriar em si mesmo, senão nas próprias fraquezas.

Versículo base sobre o Espinho na carne de Paulo

“E para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo” (2 Coríntios 12:7-9).

O Senhor quer que seus vasos continuem de barro “para deixar claro que um poder tão surpreendente vem de Deus e não de nós”. Vemos que a razão por trás da revelação de sua maravilhosa experiência, era que ele podia expor e explicar a sua maior deficiência.

Paulo deixa claro que o propósito do espinho era para que ele não se exaltasse, para que seu ministério fosse exercido na mais profunda humildade. Paulo entendia que bastasse Deus retirar a sua boa mão, e ele estaria inteiramente sob o poder de Satanás.

Embora não sabemos e nem podemos afirmar a que o apóstolo estava se referindo ao falar sobre seu “Espinho na carne”, faremos uma pequena lista de suposições:

  • Paulo se referia às tentações natureza carnal ou impureza?

Podemos descartar essa possibilidade pois Paulo atesta em 1 Coríntios 7,7 “… quisera que todos os homens fossem como sou”.

  • Supomos que Paulo se referia às incessantes perseguições e atos de violência que sofria por ser um apóstolo de Cristo. Esta linha de pensamento trata da perseguição por parte dos judeus, os quais o irritavam de modo permanente, perante os gentios.
  • Uma suposição mais comum quanto à natureza do Espinho na Carne, é a de uma debilidade corpórea ou mesmo uma doença. Há indicações em suas cartas de que sua condição física lhe causava dificuldades de tempos em tempos. Aos Gálatas ele escreveu: “Vós sabeis que primeiro vos anunciei o evangelho estando em fraqueza da carne. E não rejeitastes, nem desprezastes isso que era uma tentação na minha carne; antes, me recebestes como um anjo de Deus, como Jesus Cristo mesmo” (Gálatas 4.14).

Lembramos que são apenas suposições e não sabemos ao certo o que significava o espinho na carne de Paulo. Ele não falou de modo claro o suficiente para que entendêssemos. De certa forma, entendemos que assim como Paulo, nós também temos o nosso “espinho na carne”, algo que nos faz a cada dia dependentes de Deus e humildes diante dEle.

Para concluir vemos que diante do sofrimento causado pelo espinho na carne, que Paulo se referiu, Deus manifesta seu poder na vida dele quando dá uma resposta definitiva à situação: “A minha graça te basta, porque o meu Poder se aperfeiçoa na fraqueza (2 Coríntios 12.9). O versículo expressa que o sofrimento de Paulo era necessário, porque o poder divino se aperfeiçoa na fraqueza humana e cumpre seu propósito quando o homem alcança o ponto de absoluta rendição a Cristo. Só então ele se torna um instrumento adequado nas mãos de Deus.

“O poder de Deus alcança sua máxima intensidade, em nós, quando estamos totalmente rendidos a Ele, e isso acontece quando percebemos o quanto somos fracos e dependentes dEle”

COMPARTILHAR
Deixe seu comentário